Impeachment de empresas: tecnologia e gestão

c

Dilma caiu por causa dos impactos da tecnologia digital nos redutos de poder dos humanos: PF e Ministério Público atuam com 3 softwares que cruzam dados com velocidade-precisão, redes sociais mobilizam multidões pelo país independente da mídia tradicional, fotos e vídeos feitos de forma imperceptível geram escândalos em minutos, informações rastreadas sem limites… tudo numa multiplicação ligeira e irrefreável! Tecnologia acabou com sossego dos poderosos na gestão e controle dos interesses, haja vista efeitos de 200 manifestantes em SP que viraram milhões no país em 2 semanas, do grampo em celulares Lula-Dilma-Paes, da gravação filho Cerveró,   de pilhas de extratos bancários nas mãos da justiça, exposição de patrimônios e impostos de renda…

E este voraz ambiente tecnológico atinge também os negócios, empresários sentem a pressão, mas a dificuldade para fugir dela está no próprio comportamento. O empresário brasileiro é resistente, reluta em mudar, mexer no seu jeito de ser imediatista, excessivamente prático, acostumado com a correria, atropela planos e cronogramas até sem querer.

Neste jeito de ser, sem ceder à gestão planejada, atrapalha-se na adaptação à revolução digital, demora ou implanta de forma errada as inovações. Enquanto, em paralelo, estão em andamento soluções decisivas para a alta competitividade, por exemplo: especial atenção ao cerco tributário, marketing em mídias sociais, sistemas de armazenamento de dados, análise da segurança na rede, aquisição de softwares operacionais, de vendas e RH… e assim, de acordo com segmento e porte do negócio, é inadiável a atualização tecnológica.

A quebra da resistência na gestão e estudo para definitiva entrada na Era Digital são vitais para o sucesso hoje. Sem atitude, empresário ficará vulnerável não ao impeachment moral, mas comportamental e cairá no mercado. Concorrente atento, ousado vai ocupar espaços, dominar produtos, serviços, clientes, além dos que agora surgem em meses e abalam marcas de décadas. Para não ser vítima do impeachment comportamental, tome atitude. Conheça um método (www.consultoriadeimpacto.com.br)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *